Ir para o conteúdo

Colaboradores do CEERIA estudam impacto da pandemia na composição corporal de pessoas com deficiência

terça-feira, 08 setembro 2020

Três colaboradores do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) do Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça (CEERIA) estudaram o impacto da pandemia na composição corporal em indivíduos com dificuldade intelectual e cognitiva. Miguel Jacinto, Bruno Oliveira e Rafael Tereso, técnicos de desporto e atividade física, aproveitaram a pandemia de covid-19 para estudar os efeitos do confinamento na composição corporal de 14 pessoas apoiadas pelo Ceeria.

A metodologia do estudo consistiu em avaliar os parâmetros de índice de massa corporal, percentagem de água no corpo, percentagem de massa gorda, massa isenta de gordura e gordura visceral em 14 pessoas. Estas métricas foram avaliadas em fevereiro (pré-confinamento) e em maio, já depois do período de quarentena e revelaram diferenças “estatisticamente relevantes” no parâmetro de gordura visceral e “associações fortes” para a variável de peso e índice de massa corporal.

O estudo demonstra que “apesar da quarentena imposta”, houve “melhoria e progresso de alguns parâmetros da composição corporal”. “Sabendo que o caminho a percorrer é longo e tendo consciência que poderão ocorrer algum tipo de eventos adversos, é da responsabilidade dos profissionais, através de uma abordagem multidisciplinar, com ligação aos cuidados primários e secundários, estruturar, organizar, adaptar e implementar estratégias, sempre com o pensamento de alcançar uma melhoria na qualidade de vida de indivíduos com deficiência ou incapacidade, tendo por base os seus direitos, interesses e valores”, conclui o estudo.

Os colaboradores do CEERIA submeteram o estudo para publicação numa revista científica.